26 de junho de 2010

«Batalha» no Sado

Só podemos dar um passo em frente quando tivermos os dois pés bem assentes no chão.
Queremos, queremos...
Mas podemos apenas olhar em redor e colocar a nossa esperança nos olhos de quem nos vê...
E neste caso devemos reparar na «Batalha» do Sado.... isto significa que a comunidade de golfinhos do estuário do Sado tem um novo elemento na sua família. “Batalha” foi visto, pela primeira vez, na companhia da mãe, há uns dias...
E esta é uma boa notícia para o estuário do Sado e para aqueles que vivem e dependem dele... já que não nascia uma cria desde 2007...
Mas esta «Batalha» como é muito frágil não devemos... Já foram tantos e agora são tão poucos...
Por isso vão por mim... e tratem bem aqueles que estão á vossa volta principalmente os mais novos... porque o futuro tem de ser partilhado com eles...

21 de junho de 2010

Experiências

Há quem pense que tem muita experiência... mas os dez anos, naquela função, não representam mais do que um ano repetido dez vezes...

18 de junho de 2010

José "Il Speciale"

“Acho que na sociedade actual nos falta filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de reflexão, que pode não ter um objectivo determinado, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos. Falta-nos reflexão, pensar, precisamos do trabalho de pensar, e parece-me que, sem ideias, nao vamos a parte nenhuma”
Hoje, especialmente por quem é, vão pelas palavras do mestre...

16 de junho de 2010

Os outros também têm direito a dizer...

Todos gostam de falar... mas nós devemos compreender o que eles dizem...
O cão, por exemplo, tanto pode ladrar, comolatir, uivar ou ainda rosnar... e é o melhor amigo do homem!
O mesmo se poderá dizer em relação ao gato, que mia, rosna, bufa ou ronrona. E o canário, verificaremos com perplexidade que o único som que sabe emitir se designa por cantar, gorjear, trinar ou trilar. Eu bem disse que gostava de compreender o que se diz...
Talvez não seja bem assim... a abelha zune, a vaca muge, a galinha cacareja e o cavalo relincha
Mas será que sabem que o camelo blatera, que o leitão cuinca, a ovelha bale e o corvo crucita? E, por exemplo, que o burro para além de zurrar, orneja, que o cisne e a cigarra além de cantar, arensa e fretene...
E, para terminar, alguns dizeres verdadeiramente surpreendentes. A andorinha trinfa ou trissa; o boi arrua; o galo cucurita; o peru gruguleja; a mosca zoa; o pavão pupila; o ralo rala; a raposa regouga; o cuco cucula; o bode bodeja; a cegonha glotera; o estorninho pissita; a garça gazeia... e o gavião atita.
Vão por mim e saibam que.... nem sempre podemos compreender aquilo que os outros têm direito a dizer...

14 de junho de 2010

Afinal quem vai oferecer compostores? A Amarsul?

Já há Municipios que andam a disponibilizar recipientes de compostagem à população dos seus concelhos...
Os compostores permitem a decomposição de resíduos orgânicos de origem doméstica (restos de comida, excedentes de jardim) por acção de microrganismos, resultando na produção de fertilizante natural: o composto.
Os aderentes a este programa deverão promover a separação orgânica do lixo doméstico e utilizar o recipiente para a produção de composto que será, posteriormente, usado para fertilizar o jardim ou a horta doméstica. Cabe a cada beneficiário a responsabilidade de manter o compostor em bom estado de conservação e proceder a outras boa práticas ambientais, nomeadamente efectuar a separação dos restantes resíduos domésticos (vidro, papel e plásticos/metal) nos respectivos ecopontos.
Reduzir a quantidade de resíduos urbanos biodegradáveis em aterro, promover formas alternativas de reciclagem e proporcionar a cada cidadão um papel activo e intervenção responsável na defesa do ambiente, são alguns objectivos desta iniciativa.
Vão por mim... e informem a Amarsul que os cidadãos do nosso concelho também pretendem reciclar os seus resíduos domésticos...

13 de junho de 2010

A não esquecer... Faz anos...

A Aliança Luso-Britânica, em Portugal conhecida vulgarmente como Aliança Inglesa, entre Inglaterra e Portugal é a mais antiga aliança diplomática do mundo que ainda vigora.
Foi assinada em 1373, em plena Idade Média, e alguns referem que foi nesta data... 13 de Junho...
Vão por mim e... recordem apenas o que é duradouro...

7 de junho de 2010

Fluir...

O Homem é plural no sentido da diversidade. Mas tal pluralidade, longe de instituir a discórdia, pode converter-se num princípio de harmonia.
Parafraseando Heraclito, o pai da filosofia do devir, “a estrada que sobe e desce é uma e a mesma” ou “os contrários concordam e a bela harmonia nasce do que difere. Tudo nasce da luta”.
Na circunferência, por exemplo, “o princípio e o fim coincidem”; ou ainda, a beleza de uma pintura reside no contraste das cores, etc.
Por isso venham comigo... e fiquem onde estão...

6 de junho de 2010

Vai trabalhar nas Férias de Verão e aprende o valor do trabalho

Não se esqueça que as aulas estão a acabar, e...
Este Verão, deixe o seu filho ir trabalhar.Mais, fique entusiasmado porque o seu filho vai aprender o valor do seu trabalho.
Enquanto muitos só pensam em descansar há alguns que começam agora a trabalhar! Digamos que as “férias” de quase 1 ano terminaram, e agora é que começam os trabalhos de casa...
Durante o último ano apenas tiveram umas aulas, tendo todo o resto do tempo livre para as suas coisas…
Mas isso deve terminar brevemente! A partir dos próximos dias devem começar a ser responsáveis pelas suas actividades, trabalhando...
Não vão ter Verão 2010… Não aproveitam a praia...!
Mas vemham trabalhar comigo... e verão que nem tudo é mau. Parecendo que não, há que ir buscar uma motivação extra para começar a trabalhar!
Por isso, Boa Sorte!

4 de junho de 2010

E agora... a versão moderna de «A cigarra e a Formiga»

«Era uma vez uma formiga e uma cigarra que eram muito amigas.
Durante todo o Outono, a formiga trabalhou sem parar, para armazenar comida para o período de Inverno. Não aproveitou nada do Sol, da brisa suave do fim da tarde, dos lindos pôr-do-sol do Outono nem da conversa com as amigas. Só vivia para o trabalho!
Enquanto isso, a cigarra não desperdiçou um minuto sequer. Cantou durante todo o Outono, dançou, aproveitou os tempos livres, sem se preocupar muito com o Inverno que estava a chegar.
Então, passados alguns dias, começou a arrefecer. Era o Inverno que estava a bater à porta. A formiguinha, exausta, entrou na sua singela e aconchegante toca, repleta de comida. Entretanto, alguém chamava pelo seu nome do lado de fora da toca e, quando abriu a porta, ficou surpreendida: era a sua amiga cigarra, vestida com um maravilhoso casaco de lã e com uma mala e uma guitarra nas mãos.
- Olá, amiga! - cumprimentou a cigarra. - Vou passar o Inverno em Paris. Será que podias cuidar da minha toca?
- Claro! Mas o que aconteceu para ires para Paris?
A cigarra respondeu-lhe:
- Imagina que, na semana passada, estava a cantar num restaurante e um produtor gostou tanto da minha voz que fiz um contrato de seis meses para realizar alguns espectáculos em Paris. A propósito, queres alguma coisa de Paris?A formiguinha respondeu:
- Desejo, sim: se encontrares, por lá, o Esopo, o que escreveu a nossa história, manda-o para a outra banda...»
Por isso venha comigo até Paris... para vermos as cigarras deste mundo.!

1 de junho de 2010

Como é o dia da Criança....

As fábulas de Esopo sempre foram boas para transmitir mensagens e lições moral às crianças... Quem é que nunca ouviu falar da história da Cigarra e da Formiga?

Tendo a cigarra, em cantigas,
Folgado todo o Verão,
Achou-se em penúria extrema,
Na tormentosa estação.
Não lhe restando migalha
Que trincasse, a tagarelaF
oi valer-se da formiga,
Que morava perto dela.
- Amiga - diz a cigarra -
- Prometo, à fé de animal,
Pagar- lhe, antes de Abril,
Os juros e o principal.
A formiga nunca empresta,
Nunca dá; por isso, junta.
- No Verão, que fazias?
Boa vida? - ela pergunta.
Responde a outra: - Eu cantava
Noite e dia, a toda hora.
- Oh! Bravo! - torna a formiga
- Cantavas?
Pois então dança agora!