31 de julho de 2012

Da leitura e da cama!

A Polónia lançou uma campanha de promoção da leitura bastante chamativa: duas senhoras com muito bom aspecto - loiras, floridas, provocantes picantes, semi-nuas, e etc - estão a ler uns livros na cama e dizem:
-«Se não leres, não vou para a cama contigo.» (seguir link)
Portanto, a todos os que pensem passar férias na Polónia pensem em levar uns livrinhos para serem felizes. É exigido que leiam qualquer coisita para terem direito a uma noite de sonho
Por acaso eu também costumo ler muito na cama... e tenho sempre umas belas noites de sonho!
Boas leituras...

30 de julho de 2012

Axolotl


"Mi cara estaba pegada al vidrio del acuario, mis ojos trataban una vez mas de penetrar el misterio de esos ojos de oro sin iris y sin pupila. Veía de muy cerca la cara de una axolotl inmóvil junto al vidrio. Sin transición, sin sorpresa, vi mi cara contra el vidrio, en vez del axolotl vi me cara contra el vidrio, la vi fuera del acuario, la vi del otro lado del vidrio. Entonces mi cara se apartó y yo comprendí.
Sólo una cosa era extraña: seguir pensando como antes, saber. Darme cuenta de eso fue en el primer momento como el horror del enterrado vivo que despierta a su destino. Afuera mi cara volvía a acercarse al vidrio, veía mi boca de labios apretados por el esfuerzo de comprender a los axolotl. Yo era un axolotl y sabía ahora instantáneamente que ninguna comprensión era posible. El estaba fuera del acuario su pensamiento era un pensamiento fuera del acuario. Conociéndolo siendo él mismo, yo era un axolotl y estaba en mi mundo. El horror venía -lo supe en el mismo momento- de creerme prisionero en un cuerpo de axolotl, transmigrado a él con mi pensamiento de hombre, enterrado vivo en un axolotl, condenado a moverme lúcidamente entre criaturas insensibles. Pero aquello cesó cuando una pata vino a rozarme la cara, cuando moviéndome apenas a un lado vi a un axolotl junto a mi que me miraba, y supe que también él sabía, sin comunicación posible pero tan claramente. O yo estaba también en él, o todos nosotros pensábamos como un hombre, incapaces de expresión, limitados al resplandor dorado de nuestros ojos que miraban la cara del hombre pegada al acuario."
Júlio Cortazar

25 de julho de 2012

Gostar de um livro


Será possível ler um livro sem saber quem é o seu autor?
Não será que temos de acreditar no autor e no que ele nos diz?
Haverá anteriormente uma ligação entre o leitor e o autor?
Será possível ler e gostar de um livro sem confiar no seu autor?
Sem ter uma ideia absoluta, sobre todas estas questões, prefiro dizer que não.
Escolho preferencialmente pelo seu autor. Compro, leio e gosto de um autor. Não é fácil aceder a um livro sem referências da sua autoria.
E de todos esses livros e dos seus autores: só espero a «Verdade»!

24 de julho de 2012

Já dizia N. Maquiavel

 “A razão por que os cidadãos privados são ricos é porque vivem como se fossem pobres … Ninguém se importa com o  que não tem, mas só com o que lhe é necessário; e estas necessidades são muito menos do que as nossas (…)”. 

Mais umas tantas que fecham...


18 de julho de 2012

Tonterias de Verão

Li em Jornais e vi nas televisões dois partidos políticos portugueses, o PSD e o CDS, a acusar o Tribunal Constitucional de, através de um muito falado acórdão, aplicar a constituição e, por isso, condicionar o governo na elaboração do OE de 2013. Tonterias...
Eu pensava que a Constituição tinha, entre outras, essa função, ou seja, servia para aplicar ao poder legislativo e ao poder executivo do governo, obrigando-o a ser sempre no respeito da mesma.
Parece que não! Exigem regras aos miúdos e não cumprem regras.