30 de dezembro de 2012

O Fantasma: Deixa passar

O Orçamento foi promulgado ontem, domingo, pelo nosso Presidente.
Cavaco promulgou orçamento no fim de semana.
Que trabalhador!

Ou senão, nem esteve para muito trabalho: fez bluff até ao último momento.
Não disse nada nem podia dizer.
E depois, deixou passar!

26 de dezembro de 2012

O ano em que Passos Coelho matou o Natal



«[...] Tudo o que se esconde atrás desta mascarada de austeridade que Passos Coelho, Vítor Gaspar, Miguel Relvas e Mota Soares representam é desigualdade, favorecimento, empobrecimento, benefícios aos ricos, subserviência perante os fortes, despotismo perante os fracos, hipocrisia, descaramento, desumanidade. O contrário do que gostamos de pensar que é o espírito de Natal. Surpreende que um dos feriados eliminados não tenha sido o Natal, tal é a sanha anti-humanista dos rufias no poder. [...] O que fazer quando um primeiro-ministro tem uma tal desfaçatez que acusa no Parlamento uma deputada de dizer falsidades, em tom intimidatório, quando esta cita uma declaração sua, feita meses antes, no mesmo Parlamento e que todo o país viu e ouviu? O que fazer quando se tem um Miguel Relvas no Governo? [...] O que fazer enfim quando se tem um primeiro-ministro tão escassamente instruído, tão infantilmente birrento, tão desprovido de consciência social quanto de competências sociais, tão determinado quanto aos fins, tão indiferente quanto aos meios e tão flexível quanto aos princípios? O que fazer quando se tem um primeiro-ministro tão indiferente a Portugal e aos portugueses e tão subserviente perante poderes estrangeiros? No quadro constitucional português, a instância a quem cabe resolver este nó górdio é o Presidente da República. Mas o que fazer quando este está demasiado ocupado a comer bolo-rei? Vamos perder a vida e o futuro e a liberdade por delicadeza, como no poema de Rimbaud?

PS para PPC: Rimbaud é um poeta francês, mas não se incomode a ler. Leia antes Lettres et le Néon, um livro sobre publicidade do seu filósofo de cabeceira, Jean-Paul Sartre, que tem certamente na prateleira dos livros.»

José Vítor Malheiros, Jornal Público

24 de dezembro de 2012

Feliz Natal

O dia 25 de Dezembro é dia de Natal, ou seja, o dia do nascimento de Jesus Cristo.
Mas nem sempre o Natal foi comemorado nesta data. Antigamente o Natal era festejado em várias datas diferentes, pois não se sabia com exactidão a data do nascimento de Jesus Cristo.
Para nós ocidentais o Natal é um tempo de grande importância, pois esta é um momento de festa da família e um momento de reflexão para um novo ano, um novo tempo.
Renovemos então este momento e preparemos melhor a nossa história de vida.

20 de dezembro de 2012

Por menos, muito menos!

Agora sim; é chegada a altura de negocial com a Troika.
Com os juros muito mais baixos do que aqueles que a Troika nos emprestou temos de os chamar a Portugal e negociar.
Eles que venham: queremos menos tempo e menos dinheiro  e a juro muito mais baixo.

18 de dezembro de 2012

Portugal no seu melhor...

Eu ouvi as palavras  de  António Ferreira, presidente do Conselho de Administração do Hospital de São João: «Cada cirurgião faz em média uma cirurgia por semana».
Não há palavras.
Depois admirem-se!!!!!

17 de dezembro de 2012

Parabéns Madalena!


O trabalho de Madalena dos Reis Mendes, concebido com a técnica de pastel a seco na ESAS, venceu o concurso para elaborar a imagem do postal de Natal de 2012 do Município de Alcácer do Sal.

16 de dezembro de 2012

Fantasmas

Há fantasmas bons e fantasmas maus.
O Casper é um fantasma bom e o Cavaco é um fantasma mau.
Eu um dia vi um caça fantasmas.
Se um dia eu for um caça fantasmas eu quero ser uma caça fantasmas maus.

13 de dezembro de 2012

Uma boa prenda de Natal



Todos estamos a pensar. Todos queremos dar o máximo.
E depois de alguma reflexão lembrei-me que poderia ser mesmo uma boa ideia oferecer tempo às pessoas que estão à nossa volta.
Depois de mais uns momentos, tive a certeza. É isso mesmo. Neste Natal vou poupar umas moedas e oferecer tempo aos outros.
Não tenho a certeza, mas há bastantes hipóteses que elas gostem.

Ora então, tenha um Bom Natal, com muito tempo!

9 de dezembro de 2012

Profecias

Bíblia. Nostradamus. Bandarra. Rasputin. Maias. ... E não existirá por aí nenhuma profecia que nos diga o dia preciso do fim deste Governo?

7 de dezembro de 2012

O Natal que aí vem...


Obviamente o Francisco está habituado a receber prendas e pensou que a oferta do livro não passasse de uma brincadeira
E vai ser, mais ou menos, assim que muitas crianças vão passar o seu Natal. Perceberão o que realmente significa esta época. Mas vai custar. Vai, vai!

6 de dezembro de 2012

Ler as palavras, as frases, os parágrafos,

Os escritores, os livros, o que é escrito vivem e tornam-se actuais por via da pluralidade interpretativa que faz de cada texto um ser único, inabalável, indestrutível oferecendo a cada leitor a sua própria singularidade.

5 de dezembro de 2012

Ó pá, deita a estatística para o lixo!



Até me custa falar sobre o assunto, mas...
Não é que nestes tempos de mudança há por aí muitos que ponderam e afirmam a necessidade de mudança da educação formal, principalmente ou pelo menos a vertente humanista dessa formação.
Será que a atitude do ministro Gaspar está a fazer escola?
Não me parece. Já há muito tempo e muitas pessoas da ciência exacta exige a aumento das cargas horárias da matemática, das estatísticas e outros saberes de igual monta.
É pena. Permitam-me afirmar que esses agentes, ditos educativos, se esquecem sistematicamente que as humanidades são a principal habilidade que todos temos de adquirir para pensar. A nossa língua, a nossa história, a nossa geografia, a nossa filosofia, a nossa religião, são os alicerces da ordenação racional, da interpretação do mundo envolvente e da lógica de ser e de agir do Homem.
E os jovens adultos de hoje que não saibam relacionar, que não tenham referências históricas e geográficas, que não queiram pensar livremente e que não queiram entender o mundo à sua volta estarão incapacitados para a mais simples das acções.
Aquilo que para nós é um dado adquirido, para os mais novos é uma incógnita. Saibam ser no mundo!

4 de dezembro de 2012

Disputas matemáticas!


Parece que os partidos que formam o nosso governo estão com algumas dificuldade de análise matemática!
O número um do PSD diz que ele é o número um, que o ministro das finanças é o número dois e que o ministro dos negócios estrangeiros é o número três.
-O quê? Repita lá outra vez?
O número dois do CDS-PP diz que o primeiro ministro é o número um, o número um do CDS-PP é o número dois e o ministro das finanças é o número três.
- O quê? Repita lá outra vez?
Bem, sejamos claros: o número um é um zero, o número dois é um zero à esquerda e o número três é um zero à direita.

2 de dezembro de 2012

Mais livros

Fala dos livros como objectos de desejo, de aprendizagem e bom senso.
Estar ao pé deles sem duvidar do amor que nos produzem!

1 de dezembro de 2012

Pensamentos...


«Os donos do capital vão estimular a classe trabalhadora a comprar bens caros, casas e tecnologia, fazendo-os dever cada vez mais, até que se torne insuportável. O débito não pago levará os bancos à falência, que terão que ser nacionalizados pelo Estado
Karl Marx, in Das Kapital, 1867