29 de abril de 2013

"Swaps"

Quem, com muita regularidade, grita por "menos Estado", e passa os dias a indignar-se pelos gastos do sector público, também deveria perguntar-se sobre o que é o «interesse público». 
E são esses mesmos senhores que deixam de ter legitimidade para protestar já que, em tempos que já lá vão, deixaram o «estado» de rastos através das suas "hábeis" negociações dos "swaps".

28 de abril de 2013

Sobre o futuro

"De facto, não podemos deduzir validamente proposições sobre o futuro de proposições sobre o passado; isso seria uma dedução e nós não a temos neste caso. Mas os indícios aqui são indutivos: a indução dá-nos probabilidades, não certezas, mas diz-nos que se as pedras sempre caíram há a probabilidade, não a certeza, de que cairão amanhã."

D. Hume

26 de abril de 2013

A verdade da mentira...

ASAE impede Menezes de se candidatar ao Porto, Seara de se candidatar a Lisboa e Proença de se candidatar a Alcácer do Sal .

24 de abril de 2013

Passeio pedestre pelas Veredas do Xarrama


«“Alcácer dos 5 Sentidos” propõe para o dia 1 de Maio um passeio pedestre pelas Veredas do Xarrama, na freguesia do Torrão, que culminará numa pequena festa na Barragem de Vale de Gaio.
Com ponto de encontro na Praça Pedro Nunes, em Alcácer do Sal, pelas 8h30, os participantes vão percorrer a margem direita do rio Xarrama com início no Parque de Merendas do Torrão, podendo apreciar a paisagem natural, a vila dos “Sete Brasões” e a vila do Torrão, passando ainda pela Calçadinha Romana, onde vai ter lugar uma ação de limpeza. Segue-se um almoço-convívio na Barragem de Vale de Gaio, que vai ser animado por baile.
Os interessados em participar nesta iniciativa gratuita podem inscrever-se até segunda-feira, dia 29 de abril. Para mais informação, visite o site da iniciativa “Alcácer dos 5 Sentidos” que pode ser acedido a partir de www.cm-alcacerdosal.pt. No Posto de Turismo de Alcácer do Sal pode também encontrar informações disponíveis através do telefone 265 247 013, fax 265 247 012, telemóvel 913 581 879 ou do e-mail postoturismoalcacer@gmail.com

Aproveitem!

23 de abril de 2013

Dia Mundial do Livro


A 23 de Abril celebra-se o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor. A data tem como objectivo reconhecer a importância e utilidade dos livros, assim como incentivar hábitos de leitura na população.

22 de abril de 2013

Prémio da Sociedade Portuguesa de Filosofia


José Gusmão Rodrigues, 19 anos, venceu o prémio de ensaio filosófico da Sociedade Portuguesa de Filosofia. 
 E como não podia deixar de ser informou que «o futuro do país é incerto e, se ficar, não vou conseguir trabalhar na área de que mais gosto»
E assim, ter ganho este prémio tem o sentido de «uma grande ajuda para concretizar o sonho de ir estudar para o estrangeiro».
Mais um emigrante como quer o nosso primeiro P.P. Coelho.  
José Rodrigues conquistou o prémio da Sociedade Portuguesa de Filosofia com um ensaio que respondia à questão filosófica: "O relativismo acerca da verdade refuta-se a si mesmo?"

A filosofia da mente é o tema sobre o qual, José Rodrigues, pretende trabalhar no futuro. E ele mesmo diz que «é uma área muito interessante porque está em contacto com a ciência cognitiva e ajuda-nos a perceber como nos entendemos uns aos outros».

Muitos Parabéns!

20 de abril de 2013

Nada para fazer


É excelente não ter nada para fazer, pois isto quer dizer que temos tempo para fazer montes de coisas que normalmente não podemos fazer porque temos imensas coisas para fazer.
- Que stress!!!
O pessoal devia ver a minha carinha de felicidade quando não tenho mesmo nada para fazer.
Fico muito contente. Fico bem disposto por todos os poros do meu corpo. O corpo parece gelatinoso, todo torcido em contraste com aquele que faz exercício físico. Penso em muita coisa mas desato logo a fugir delas. 
Entre as muitas coisas que gostaria de fazer quando não tenho nada para fazer sobressaem as seguintes actividades: beber um café, ler um bom livro, dar de comer aos periquitos, ver uma novela mexicana ou apenas pastar pela internet. Mas não me apetece fazer nada e por isso não tenho mesmo nada para fazer. 
Como vêem há tantos nadas, tantas coisas que não valem nada para fazer que podemos fazer nos intervalos das coisas que temos para fazer. 

Afinal, que é que fazem as pessoas, como eu, quando não têm nada para fazer?

19 de abril de 2013

Dizia Thomas Mann

Eu não teria podido [aí] viver e trabalhar. Teria sido, para mim, um verdadeiro envenenamento, se não tivesse podido, de tempos a tempos, «lavar o meu coração», como dizem os antigos, se não tivesse podido exprimir, sem reticências, o meu nojo por esses discursos miseráveis, que ribombam pelo meu país, e pelos actos ainda mais miseráveis que nele se cometem. Com ou sem razão, o meu nome está ligado, para o mundo, à noção de uma Alemanha que ama e que honra. Vi-me, pois, na obrigação de denunciar abertamente as mutilações selvagens que infligiram a essa Alemanha. E essa obrigação perturbava todos os meus sonhos de artista, aos quais eu me teria tão voluntariamente abandonado. Mas a essa obrigação, eu não podia subtrair-me, porque me foi sempre permitido exprimir-me, libertar-me pela linguagem. A vida não se acha, para mim, realizada, a não ser nessa constante criação da linguagem que purifica a emoção e a conserva.

Pois também eu começo a sentir a mutilação de palavras nobres. Todas as palavras do dicionário que usamos estão ao serviço no mal. É assim que sinto o discurso político!

18 de abril de 2013

Desobediência civil


«Algumas pessoas argumentam que a violação da lei nunca pode justificar-se: se não estamos satisfeitos com a lei devemos tentar mudá-la através dos meios legais, como as campanhas, a redacção de cartas, etc. Mas há muitos casos em que tais protestos legais são completamente inúteis. Há uma tradição de violação da lei em tais circunstâncias conhecida por desobediência civil. A ocasião para a desobediência civil emerge quando as pessoas descobrem que lhes é pedido que obedeçam a leis ou a políticas governamentais que consideram injustas.
A desobediência civil trouxe mudanças importantes no direito e na governação. Um exemplo famoso é o movimento das sufragistas britânicas, que conseguiu publicitar o seu objectivo de dar o voto às mulheres através de uma campanha de desobediência civil publica que inclua o autoacorrentamento das manifestantes. A emancipação limitada foi finalmente alcançada em 1918, quando foi permitido o voto às mulheres com mais de trinta anos, em parte devido ao impacto da primeira guerra mundial. No entanto, o movimento das sufragistas desempenhou um papel significativo na mudança da lei injusta que impedia as mulheres de participar nas eleições supostamente democráticas. (…)
A desobediência civil corresponde a uma tradição de violação não violenta e pública da lei, concebida para chamar a atenção para leis ou políticas injustas. Os que agem nesta tradição de desobediência civil não violam a lei unicamente para seu benefício pessoal; fazem-no para chamar a atenção para uma lei injusta ou uma política moralmente objectável e para publicitar ao máximo a sua causa. Por isso é que estes protestos ocorrem habitualmente em lugres públicos, de preferência na presença de jornalistas, fotógrafos e câmaras de televisão


                                        Nigel Warburton, Elementos básicos de Filosofia

17 de abril de 2013

Consensos? Agora?


Agora são cartas e reuniões mas no passado só existiu esquecimento!
Penso que já não há consenso possível pois este envolveria um «suicídio» de toda a classe política.
Já ninguém quer apoiar um programa de «enterramento dos mortos». O agravamento da recessão económica e dos números do desemprego vão continuar enquanto este governo e este presidente se mantiverem apoiados junto ao abismo.
Ao primeiro desvio cairão. O Partido Socialista não se irá juntar a este processo.
Estou Seguro que não.
Mas é apenas a minha opinião!

16 de abril de 2013

O Dia Mundial do Livro na Biblioteca Municipal


A Biblioteca Municipal de Alcácer do Sal vai comemorar o Dia Mundial do Livro, que é no dia 23 de Abril, com um conjunto de iniciativas sobre o livro e a leitura, das quais se destaca a Maratona da Leitura. Esta iniciativa pretende não só promover a leitura como também conquistar novos públicos para as bibliotecas.
A Maratona de Leitura decorrerá ao longo nesse dia, com a leitura de 2 obras de autores portugueses. Casos do Beco das Sardinheiras de Mário de Carvalho, entre as 10h e as 13h, nos Paços do Concelho; e As três vidas de João Tordo, entre as 15h e as 22h, no Auditório da Biblioteca Municipal.
Contará com a presença de vários intervenientes, entre os quais o ator Ruy de Carvalho, que dará início às leituras no período da tarde.
Se queres participar como leitor(a) voluntário(a) inscreve-te na  até ao dia 19 de Abril!

15 de abril de 2013

Cripta Arqueológica de Alcácer do Sal vai comemorar cinco anos


«A Cripta Arqueológica do Castelo de Alcácer do Sal comemora no próximo dia 18 de abril o seu quinto aniversário, sendo que este ano a festa obedece à temática “Alcácer Renascentista – 500 Anos do Foral Manuelino do Torrão”.
Para assinalar a data, o espaço vai acolher ao longo do dia diversos ateliers lúdico-pedagógicos destinados à comunidade escolar, recebendo ainda visitas guiadas gratuitas abertas ao público em geral e que decorrem até à meia-noite. Pelas 21h30, a Cripta vai ser palco de um concerto comemorativo pelo Coro da Universidade Sénior do Torrão.
As comemorações da efeméride prolongam-se até 22 de maio, com atividades semanais destinadas às crianças do concelho, cujos resultados vão estar depois em exposição na IV Recriação Histórica/ Feira Quinhentista no Torrão, de 31 de maio a 2 de junho.»
In, Gabinete de Informação da CMAS

14 de abril de 2013

Sobre os livros...

Hoje tudo acontece a nível virtual. O computador de secretária e o computador portátil estão em vias de desaparecimento. Uma simples tablet oferece o que todos precisamos: a velocidade do digital.
O digital é parte integrante do quotidiano das pessoas mas existem perguntas que devemos colocar sobre o futuro do livro enquanto livro.
-Será que daqui a vinte anos ainda se lerão livros?
- Os livros em papel deixarão de existir?
- Fará sentido pensar um livro em formato de páginas? 

Mas tudo acontecerá de forma natural. A escrita tem evoluído e desde o seu aparecimento que tem sido influenciada pelo seu suporte: primeiro a pedra, depois o papiro e o pergaminho, depois o papel e a impressão.
Agora temos o digital!

13 de abril de 2013

Maturação

Portugal foi à Irlanda negociar a maturidade da dívida, mas deveria ter ido ao Tibete negociar a maturidade do Primeiro Ministro e do Presidente da República!

12 de abril de 2013

Câmara Municipal de Alcácer do Sal

Pergunto eu:
- O que é que o Movimento Revolução Branca tem relativamente a Vitor Proença?
- O quê? O que é isso??!! Respondem eles admirados.
- Procurem, investiguem! Digo eu sem abrir mais a minha boca.

11 de abril de 2013

Venha caminhar até Alcácer do Sal...



É de aproveitar...
«O programa turístico do Município de Alcácer do Sal, intitulado “Alcácer dos 5 Sentidos”, propõe para o dia 20 de Abril, sábado, a realização de um percurso pedestre por entre salinas e arrozais.
O passeio, organizado em conjunto com a empresa Rotas do Sal, tem início pelas 9h30, junto ao Posto de Turismo de Alcácer, e tem uma duração prevista de três horas. Este é um passeio com características de expedição fotográfica, que proporciona a observação de fauna, flora e paisagem, onde são múltiplos os motivos de interesse.
Os interessados em participar podem inscrever-se até quarta-feira, dia 17 de abril, contactando a Rotas do Sal através do telemóvel 967 066 072 ou pelo e-mail rotasdosal@gmail.com. Para mais informação, visite o site da iniciativa “Alcácer dos 5 Sentidos” que pode ser acedido a partir de www.cm-alcacerdosal.pt. No Posto de Turismo de Alcácer do Sal pode também encontrar informações disponíveis através do telefone 265 247 013, fax 265 247 012 ou do e-mail postoturismoalcacer@gmail.com

10 de abril de 2013

Sobre a felicidade...


«Os homens não se associam tendo em vista apenas a existência material, mas, antes, a vida feliz, pois, se fosse de outra forma, uma colectividade de escravos ou de animais seria um Estado, quando, na realidade, isto é uma coisa impossível, porque esses seres não têm qualquer participação na felicidade, nem na vida fundamentada em uma vontade livre.»


Aristóteles, in 'A Política'

6 de abril de 2013

Aprendam!

As leis é que têm de se conformar com a Constituição e não o contrário... mas parece que há muitos que não sabiam isto!