1 de agosto de 2013

A medida final - a Blitzkrieg do mandato do governo

Não sei, lá muito bem, prever o futuro. O que sei é que: as próxima vítimas das medidas do governo são, mais uma vez, os colaboradores que ainda trabalham. Alguém terá de pagar pelos futuros insucessos do governo.
Acerca do passado já estamos conversados. O esforço que foi feito para empobrecer os Portugueses foi conseguido.
Mas a corda ainda vai apertar mais. Já está tudo previsto: horário de quarenta horas semanais, direito a férias reduzido para 22 dias por ano, flexibilidade das regras de despedimento, novo sistema de requalificação da administração pública (dito despedimento), redução de mais 30 mil efectivos na função pública, revisão da tabela remuneratória única e elaboração de uma tabela única de suplementos, aumento das contribuições para os subsistemas de saúde ADSE/ADM/SAD, mudança na idade da reforma, etc.
Mas a última medida é a medida final. Blitzkrieg! É uma medida de âmbito cientifico: apagar as memórias dos anos de governação. Todos os Portugueses, no final do final do mandato, devem tomar "metirapona", um medicamento que ajuda a suprimir o sofrimento causado por lembranças negativas. Deste modo abrem-se as portas a um segundo mandato.

Sem comentários: