16 de agosto de 2013

Animalescos

Acabei de ler o livro «animalescos» de Gonçalo M. Tavares.
E mais uma vez fiquei surpreendido como o autor, isto é, Gonçalo M. Tavares não pára de me surpreender. Cada livro é diferente!
Um livro diferente. Um homem diferente. Máquinas diferentes. Ninguém pode viver para sempre. 
Não conheço outro livro que escreva os humanos na sua nudez e na sua fragilidade como Gonçalo M. Tavares fez. Brutos como viemos ao mundo, carne e sangue, feios, loucos. Sentados ou de gatas como um animal qualquer. Sozinho dentro de um qualquer quadrado, implacavelmente sozinho a apodrecer para os pombos. O universo de G. M. Tavares transformou-se na alma de um qualquer hospício: na mais profunda malvadez obediente da alma humana. 
Pura psicologia animal. Ficamos perdidos e abandonados, sem que ninguém nos possa salvar.

Sem comentários: