25 de setembro de 2013

Do Sexo e dos Filhos

Portugal e Alcácer do Sal têm muito em comum. Quer ao nível da política nacional, quer ao nível do política local. Os políticos esgrimem argumentos interessantes mas o mais importante fica sempre dentro da gaveta.
Ninguém percebe o mais simples. Todos negam ou escondem as evidências.
Aquilo que está diante dos olhos já ninguém consegue ver. «Despreza-se a realidade» como dizem os letrados.
Perde-se muito tempo a falar do desemprego, das reformas, da educação e da saúde.... e todos estes temas merecem a nossa maior atenção. Podemos mesmo falar de emigração, da idade da reforma, dos programas disciplinares e do tempo de espera para se fazer uma cirurgia... e todos estes temas merecem a nossa maior atenção.
Mas o problema é outro! O problema é que ninguém quer falar de sexo e de filhos: um modo simples de tratar a "questão maior" da demografia.
Portugal e Alcácer do Sal atravessam neste início de século um colossal problema demográfico. E que será ainda maior nas próximas décadas. É um problema que todos conhecem mas que ninguém quer falar dele.
Todos falam de sexo. Todos falam de sexo seguro. Ninguém fala de sexo para construir uma família da qual os filhos fazem parte.
Olhemos, por exemplo, para a escola. Muitos falam de «Educação sexual» mas poucos falam da família. Todos se excitam por causa dos «milhares de professores que não foram contratados" mas quando se trata de fazer um filho todos advogam problemas éticos e económicos (para além dos problemas de erecção). O sexo é natural à vida mas ter filhos é pouco conveniente.
Cada vez há menos filhos. Cada vez há menos alunos. Cada vez há menos praticantes de desporto. Portugal, Alcácer do Sal, a Escola e os Clubes devem ficar preocupados. Há cada vez menos população porque não há bebés. Há cada vez menos alunos porque não há bebés.Há cada vez menos praticantes desportivos porque não há bebés. E como não há bebés reduzem-se as freguesias. E como não há bebés reduzem-se os concelhos. E como não há bebés reduzem-se as escolasE como não há bebés reduzem-se os professores. E como não há bebés fecham-se os clubes desportivos.
E no meio da berraria, ninguém parece interessado em fazer bebés: Portugal e Alcácer do Sal têm uma das taxas de natalidade mais baixas do mundo.  
Ainda querem falar da questão da segurança social? Ainda querem falar da questão dos cortes nas reformas? Estamos a caminho de uma pirâmide demográfica invertida o que significa que cada vez há menos filhos (apesar de se fazer mais sexo).
Há que reconhecer que temos um problema sexual: em Portugal e em Alcácer do Sal há sexo mas pouco consequente!
Ou já nem por sexo se interessam?

Sem comentários: