20 de setembro de 2013

O paraíso

«Nunca pensei que houvesse espreguiçadeiras no Paraíso, um móvel tão amigo de um dos pecados mortais. Tapo os olhos por causa da luz. É demais, é muita luz, e deveria haver um botão para baixar, para dar penumbra, como quando baixo os estores nas tardes de agosto. Imaginava o Paraíso com estores. Espero que haja uma noite para aliviar este dia tão luminoso

A Queda De Um Anjo, Afonso Cruz

Sem comentários: