17 de outubro de 2013

A Validade dos Argumentos

«Os lógicos (…) distinguem a validade da solidez. Diz-se que um argumento é válido se a conclusão se segue das premissas. No entanto, para que seja sólido, um argumento tem de ser válido e as premissas têm de ser verdadeiras.
Importa fazer outra observação. O grau com que as premissas apoiam a conclusão pode variar. Por vezes as premissas não aprovam absolutamente que a conclusão seja verdadeira, mas proporcionam dados que tornam muito provável que a conclusão seja verdadeira.
1.  Francisco foi visto a discutir com Sara alguns minutos antes de Sara ser morta com uma faca.
2. A faca tinha impressões digitais de Francisco.
3.  Logo, Francisco matou Sara.
Este argumento não prova absolutamente que Francisco matou Sara, já que é possível que ele tenha caído numa cilada. Porém, à luz destes dados, é provável que ele seja o assassino. Os dados aumentam a probabilidade da conclusão ser verdadeira.

Assim, o primeiro conselho para avaliar argumentos, que é também o mais importante, é o seguinte: comece sempre por perguntar se as premissas são verdadeiras e se a conclusão se segue delas. (...)
Não acredite que um argumento tem de ser sólido simplesmente porque concorda com a conclusão.(…)

Se descobrir que um argumento não é sólido,  tente reformula-lo de modo a torna-lo melhor.(…) Esteja atento a falácias comuns (…)»


                                                      James Rachels, Problemas da Filosofia

Sem comentários: