27 de janeiro de 2014

Ler um livro


Quando lemos um livro oferecemos um pouco de nós.
Cada página é um momento significativo. Em cada uma emerge o processo criativo, a luta entre o bem e o mal e o eterno valor da Humanidade. Ler Cervantes, Melville e Kafka é estar em contacto com a vida e com a verdade. Todos fazem sentido e formam uma unidade. Ler o Cândido e o Homem sem Qualidades é ver o mundo inteiro. Os livros mostram as diferentes cores do céu, as paixões mais contraditórias e o cinzento vazio do nada. Em cada livro um personagem, em cada personagem um mundo.
Mas como diz o Alce Negro, «sabemos que estamos ligados e unidos a todas as coisas do céu e da terra... à estrela da manhã e à madrugada que com ela chega, à lua nocturna e às estrelas do céu... Só as pessoas ignorantes... vêm muitas coisas onde realmente há uma só».

Sem comentários: