28 de fevereiro de 2014

Normalidade


Existe uma elementar universalidade humana. Ser de origem modesta, crescido e formado no interior dos valores tradicionais da família, respeitando a autoridade e a norma social. Apenas procurando uma normalidade quotidiana. A ordem facilitadora.
Quando a incerteza se instala não se rende nem se resigna. As unhas são garras. O descanso é luta. O burguês é um tirano violento. A angustia individual é uma tragédia colectiva.
Por fim o regresso à banalidade. Sem olhar para o passado e sim para a vida. Aposentado a viver em alegria.

Sem comentários: