16 de fevereiro de 2014

Tempos...

O meu inverno tem um horizonte restrito, mas prudente e seguro. Um mundo reduzido, mas rico e harmonioso. Um pequeno espaço de fantasia. Uma monotonia acolhedora. Uma paisagem pacata. Uma renuncia nostálgica. Uma certa imobilidade, um certo apagamento. A periferia da vila no meio da natureza. Um sítio isolado e disperso.
O meu verão não tem horizontes. Uma cidade cheia de luzes. Vermelho, azul e amarelo.

Sem comentários: